Vítima de espancamento fica abalada após ver pela primeira vez o rosto desfigurado

A paisagista Elaine Peres Caparroz, de 55 anos, que vem surpreeendo a família com a sua recuperação ficou muito abalada ao se ver pela primeira vez no espelh. Segundo o irmão da vítima, o programador Rogério Peres, de 45 anos, a família vinha evitando que ela se olhasse no espelho e visse a sua fisionomia. Elaine Caparroz foi espacanda por cerca de quatro horas no último sábado, em seu apartamento na Barra, pelo estudante de Direito Vinicius Batista Serra.

De acordo com o irmão da vítima, o programador Rogério Peres, de 45 anos, todos os esforços estão sendo feitos para que ela se recupere fisica e emocionalmente após o episódio.

— Num primeiro momento, a probabilidade dela ter alguma sequela neurológica era muito grande. Isso foi uma preocupação muito grande para a gente. Mas graças a Deus essa chance foi se dissipando, e agora a recuperação dela é estética. O rosto dela ainda está muito inchado, ela nem consegue abrir os olhos direitos. Ela está bem e se recuperando. Evitamos, mas mo momento em que ela se olhou no espelho, ficou muito abalada e teve a noção da gravidade do que aconteceu com ela. Superar a parte emocional vai ser o mais difícil —conta o irmão Rogério, segundo o Extra.

Rogério aponta também que, passados três dias do caso, as ideias ainda estão muito desconexas na cabeça da vítima:

—Tem horas que ela relembra alguns trechos do fato e fica muito impactada, e em outros momentos ela diz que vai superar tudo. Precisamos aguardar. Dou total apoio à polícia para que tudo seja apurado. Espero que ele pague pelo que fez. Se for realmente comprovado que o crime foi premeditado, que isso seja um agravante na pena do Vinícius. Como uma pessoa pode ter uma raiva tão grande do nada? Tudo deve ser apurado.

O último boletim médico divulgado pelo Hospital Casa de Portugal, no Rio Comprido, Zona Norte do Rio, onde Elaine está internada, informa que ela apresenta boa evolução clínica e laboratorial. “Após novas reavaliações pela equipe médica, a paciente não necessita de intervenções cirúrgicas no momento. Elaine encontra-se estável e segue em observação”.

Nesta segunda-feira, a defesa de Vinicius apresentou declarações médicas de 2016 para tentar comprovar que o preso tem problemas mentais. Contudo, o juiz Alex Quaresma Ravache, em sua decisão, diz que não viu justificativa para internação provisória de Vinicius. O Código de Processo Penal prevê a possibilidade de internação em caso de crimes praticados com violência ou grave ameaça, se uma perícia comprovar que ele era “incapaz de entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se de acordo com esse entendimento. Além da prisão preventiva de Vinicius, o magistrado determinou que ele passe por uma avaliação psiquiátrica.

Vítima deixou a UTI e se recupera bem

Elaine permanece internada. Segundo Rogério, ela levou quase 40 pontos dentro da boca. Ela teve fratura no nariz e nos ossos da face, além do afundamento de parte da gengiva. Nesta segunda-feira, a vítima foi transferida da UTI para um quarto particular. Por motivos estéticos, Elaine será operada, ainda sem previsão.

As agressões ocorreram na madrugada de sábado, de 1h até quase 5h30. Elaine foi socorrida por funcionários e vizinhos do condomínio onde ela mora, na Barra da Tijuca, Zona Oeste. Foram socos e mordidas, entre outros golpes. À polícia, Vinícius alegou que havia tomado vinho antes de dormir com Elaine e surtou. No entanto, a polícia não acredita na versão.

Elaine e Vinícius haviam se conhecido pela internet e conversaram durante oito meses. Foi quando decidiram marcar um encontro. Elaine convidou Vinícius para um jantar em seu apartamento. Após a agressão, ele tentou fugir do condomínio, mas as saídas do local foram fechadas.

Delegada aguarda alta para ouvir vítima

A delegada Adriana Belém, da 16ªDP ( Barra da Tijuca), que investiga a tentativa de homicídio sofrida pela paisagista Elaine Peres Caparroz, está esperando a liberação médica para ouvir a Elaine. Hoje, às 14h, a polícia vai ouvir os pais do agressor.

Adriana Belém acredita que Vinicius não estava bem intencionado quando entrou no apartamento da vítima. O encontro aconteceu após oito meses de conversa em uma rede social.

— Acredito que estava pessoa ( Vinicius) não estava bem intencionada. Vamos ouvir também integrantes da última academia onde ele treinava — disse a delegada. — A linha principal é de feminicídio mesmo. Eles marcaram um encontro e em determinado momento algo aconteceu ali , que nós vamos buscar. Vamos ter certeza depois que a vítima puder ser ouvida . E que levou ele a fazer aquele ato de monstruosidade com aquelas agressões absurdas.

19/02/2019