Próxima legislatura terá a maior bancada feminina da história

Desde a bancada solitária de Lily Lages, a primeira deputada estadual de Alagoas, em 1934, a Assembleia Legislativa alcança uma marca histórica, neste pleito de 2018. Isto porque, pela primeira vez, a população elegeu cinco representantes do sexo feminino para compor os quadros do Parlamento alagoano na 19ª Legislatura. Para compor a bancada feminina na Casa de Tavares Bastos foram escolhidas as deputadas Jó Pereira (MDB), que vem para o segundo mandato, Angela Garrote (PP), Cibele Moura (PSDB) Fátima Canuto (PRTB) e Flávia Cavalcante (PRTB).

“O sentimento é de alegria, de gratidão e muita satisfação, porque as pessoas entenderam a maneira como nós trabalhamos e exercemos o mandato, construindo e planejando políticas públicas de Estado, e é por essa via que nós vamos transformar Alagoas”, declarou Jó Pereira, agradecendo aos mais de 53 mil votos, maior votação entre aqueles que disputavam um cadeira na Assembleia Legislativa.

Sobre o aumento da bancada feminina na Casa de Tavares Bastos, Jó Pereira destaca o esforço de cada uma delas durante a campanha eleitoral. “Hoje podemos dizer que temos uma bancada feminina. A gente vê que as mulheres já participaram nessa eleição de maneira mais efetiva. Foram de fato para o corpo a corpo, fizeram campanhas importantes e mostraram a força da representação feminina”, declarou a parlamentar. “Mas o desafio continua sendo grande, apesar do avanço. Aqui em Alagoas nós avançamos mais que a média nacional. Nacionalmente hoje as mulheres ocupam 15% das vagas no parlamento estadual e federal e aqui no Estado nós chegamos a 18%”, informou a parlamentar, cobrando mais apoio dos partidos políticos para que as mulheres possam participar de forma mais efetiva nas eleições.

A Assembleia Legislativa contará ainda com a presença de Cibele Moura, a deputada estadual mais jovem do Brasil. Com 21 anos, Cibele conquistou 37.824 votos do eleitorado alagoano. Ela contou que um dos motivos que a levaram a pleitear uma vaga na Assembleia Legislativa foi a vontade de buscar soluções para os problemas que afligem a sociedade. “Sempre acreditei que a política era o melhor caminho pra gente mudar as coisas. Então o motivo de querer ser candidata, de querer ser deputada, foi poder fazer alguma coisa para mudar a história de Alagoas e do Brasil”, disse, acrescentando que sua bandeira de luta será a de uma nova política e também a defesa da juventude, seus compromissos de campanha. “Eu não poderia deixar de defender o jovem. E defender o jovem para mim é defender a geração de emprego”, declarou Cibele Moura.

O fato de ser a deputada estadual eleita mais jovem do Brasil lhe traz grandes responsabilidades. “Com a votação expressiva que recebi, mostra que de fato temos muita gente que acredita na juventude. Eu não posso decepcionar o jovem alagoano. Tenho que mostrar que o jovem é capaz sim de fazer a diferença”, observou Cibele , se dizendo feliz com o crescimento da bancada feminina no Parlamento alagoano. “Isso é uma tendência no Brasil, das mulheres estarem ocupando seus devidos lugares. E a Assembleia ou qualquer outro lugar de poder, tem que representar o povo, e você não representa uma população que é de mais de 55% de mulheres, se não tiver mulher no Parlamento”, completou a jovem deputada eleita.

Ainda farão parte da nova bancada feminina do Legislativo alagoano, as deputadas eleitas Fatima Canuto, Flávia Cavalcante e Angela Garrote (PP). A primeira é filha do ex-deputado Rubens Canuto, foi eleita com a aprovação de 37.151 eleitores. Com expressivos 29.561 votos, a deputada eleita Flávia Cavalcante não é uma novata no Parlamento alagoano. Isto porque, ela já exerceu o cargo de deputada por dois mandatos (2007/2011 e de 2011/2015). Período em que ocupou vários cargos na Mesa Diretiva do Poder chegando a comandar, interinamente, a presidência da Casa. A quinta deputada eleita é a ex-prefeita de Estrela de Alagoas, Angela Garrote, ela recebeu 26.845 votos.

Ascom – 10/10/2018