MP-MG pede para condenação do ex-goleiro Bruno ser mantida; recurso será julgado hoje

O Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) pedirá a que a condenação do ex-goleiro Bruno Fernandes, de 22 anos e três meses pelo homicídio triplamente qualificado de Eliza Samudiom seja mantido. O julgamento na 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais acontecerá na tarde desta quarta-feira e será feito pelos desembargadores do TJ-MG, quandoserá julgado dois processos relacionados à morte da modelo Elisa, em 2010.

A defesa do goleiro Bruno pede a anulação do julgamento que condenou o ex-atleta do Flamengo pelo crime. Já o MP-MG requer uma reestruturação da pena, já que levam em conta a agravante pelo mando, perversidade e desvio da personalidade que o ex-jogador do Flamengo representa.

Bruno está preso desde 2010, condenado pelo crime. Os advogados do goleiro pedem ainda a nulidade da decisão que determinou a nulidade da sentença que expediu a certidão de óbito da modelo. Os desembargadores da 4ª Câmara Criminal do TJMG também vão decidir sobre o recurso de Fernanda Gomes, ex-noiva do goleiro, também condenada por envolvimento no crime, informa o Extra.

Mas, segundo o MP-MG, toda a trama e execução que culminaram na morte da jovem, em junho de 2010, tiveram a ciência de Bruno, que cedeu veículos e locais para que ela fosse conduzida e contida até o momento de ser morta.

Segundo a instituição, as provas contidas nos autos corroboram também para a ocorrência de sequestro e cárcere privado, já que Eliza e seu filho foram atraídos ainda no Rio de Janeiro, trazidos para Minas Gerais e mantidos em cativeiro.

“A decisão alcançada pelos jurados não se caracteriza como manifestamente contrária à prova dos autos e não autoriza juízo de revisão por parte do Tribunal de Justiça”, afirma o procurador de Justiça Rogério Filippetto de Oliveira. “Os julgamentos concluíram pela existência do homicídio de Eliza. No julgamento de Macarrão, fez-se coisa julgada, reconhecendo-se o óbito dela. O mesmo se sucedeu no julgamento de Bruno”.

Trabalho com crianças

Há um mês, o ex-goleiro Bruno foi autorizado a dar aulas de futebol para crianças no Núcleo de Capacitação para a Paz (Nucap), em Varginha (MG). O MP-MG, através do promotor do caso, Aloísio Rabelo de Rezende, entendeu que pelo fato do Nucap ser restrito ao atendimento a presidiários, famílias de detentos e não ser um lugar que oferece contato com áreas externas, não havia motivos para apelação. Além disso, Bruno já estava trabalhando quando ocorreu sua transferência.

O Nucap é uma organização da sociedade civil, que presta serviços de caráter público e é voltada para a inclusão e a ressocialização de presos. No local, o jogador dará aulas de futebol, de segunda a sexta-feira, para crianças e adolescentes assistidos pela entidade.

13/09/2017

(Visited 3 times, 1 visits today)