Coordenador da Lava Jato critica Gilmar Mendes por soltar Beto Richa

O procurador da República Deltan Dallagnol, que coordena a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, criticou a decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes, de mandar soltar o ex-governador do Paraná e candidato ao Senado pelo PSDB, Beto Richa.

No Twitter, Dallagnol chamou a liberação de “atropelo procedimental”.

“Vedou a condução coercitiva, agora a temporária e ainda antevê que não estarão presentes os requisitos da preventiva? É possível isso?”, acrescentou.

O ex-governador foi solto na madrugada deste sábado (15.set.2018), por volta de 00h40. Na saída, disse que foi vítima de uma “crueldade enorme” e que está de “cabeça erguida”, revela o MSN. 

O tucano e sua mulher, Fernanda Richa, além de outras 13 pessoas foram presos na operação Rádio Patrulha MP-PR (Ministério Público do Paraná) na última 3ª feira (11.set). Todos foram liberados neste sábado por ordem de Gilmar Mendes.

Além de revogar a prisão temporária de Richa, a decisão do ministro impede qualquer nova prisão provisória que não se baseie em novos fatos investigados.

Richa é suspeito de integrar esquema de direcionamento de licitação para beneficiar empresários, pagamento de propina para agentes públicos e lavagem de dinheiro.

16/09/2018